Quem sou eu

Minha foto
advogado, sindicalista, locutor...

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Requerimentos e Indicações 31.10.13




-
Requer informações sobre área invadida na confluência das ruas Javari e Rio Grande do Norte.
-  Requer ações de limpeza pública na rua Palmiro Bim, no bairro Parque dos Pinus.
-   Requer reparo na pavimentação asfáltica na Rua Dom Luiz do Amaral Mousinho, defronte ao 365.
-  Requer extração de árvore na Av. Caramuru, defronte aos números  2.339 e 2.800.
-   Requer providências para limpeza naPraça Pública Amapagis, no bairro Iguatemi.


- Requer a volta do serviço de auxilio à travessia de estudantes na EMEFEM Dom Luiz do Amaral Mousinho.
 - Requer informações sobre a realização de concurso para inspetor de aluno/agente escolar.
- Requer informações sobre a gratificação para profissionais do setor administrativo que exercem a função de secretário escolar.
- Requer intensificação do patrulhamento da polícia militar e guarda civil municipal nas Escolas Municipais Paulo Freire e Alcina Heck.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Combate ao Assédio Moral

O vereador André participou nesta quarta-feira(30/10) do II Seminário Sobre Assédio Moral no Ambiente de Trabalho com o tema: “Relacionamento Interpessoais”. O evento realizado no Hospital Psiquiátrico Santa Tereza foi organizado pelo NUCAMT – Núcleo de Combate ao Assédio Moral, com o apoio do SINDSERVAÚDE e contou com uma palestra do Prof. Dr. Sérgio Kodato e debates onde o público participou intensamente com intervenções, dúvidas e sugestões. Durante toda manhã foram debatidas situações de assédio moral no ambiente de trabalho e formas para combate.
André é autor do Projeto de Lei nº 348/2009 que Veda o Assédio Moral no âmbito da administração pública municipal direta, indireta, autarquia e fundações públicas.
O vereador destacou a importância das empresas promoveram atividades onde o tema é debatido e que as vítimas devem procurar ajuda jurídica e psicológica.
Na foto o vereador ao lado de Elaine Maria Covre, Diretora do Hospital, Sidmar D. de Oliveira do NUCAMT, Prof. Kodato da USP e Evaldo Nascimento do SINDSERVSAÚDE.

domingo, 27 de outubro de 2013

Artigo Jornal Tribuna 27.10.13


Jubileu de Prata, história de ouro!


A constituição federal de 1988 completou 25 anos neste mês de outubro
e entre vários avanços garantiu o direito de voto para os analfabetos;
voto facultativo para jovens entre 16 e 18 anos; eleições em dois
turnos (para os cargos de presidente, governadores e prefeitos de
cidades com mais de 200 mil habitantes) e a liberdade sindical.
Um segmento da sociedade que foi beneficiado com a constituição cidadã
foi o do funcionalismo público que, até então, não poderia se
organizar em entidades sindicais. Em Ribeirão Preto, a Associação dos
Servidores logo se transformou em Sindicato, atualmente o Sindicato
dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto, Guatapará e Pradópolis
escrevendo ao longo do tempo, uma bela história de luta em favor dos
trabalhadores merecendo destaque no cenário paulista e nacional.
Embora muitos tentem “glamurizar’ a função pública, em razão das
várias conquistas garantidas pelo texto constitucional, os servidores
tiveram que realizar grandes batalhas para assegurá-las. O direito de
greve, por exemplo, aguardou mais de vinte anos sem manifestação do
Congresso Nacional e acabou regulamentado pelo Supremo Tribunal
Federal. Vale consignar que os empregados do setor público também são
trabalhadores assalariados uma vez que existem as relações sociais de
subordinação estrutural do trabalho ao capital e em muitos municípios
brasileiros, prefeitos ousam pagar abaixo do salário mínimo. Muitos
não aceitam a fundação de sindicatos e outros sequer abrem as pautas
de negociação coletiva.
Em contrapartida existem experiências exitosas como a instituição de
mesas ou sistemas de negociação permanente onde são desenvolvidos
espaços permanentes onde governantes e sindicalistas possam construir
uma nova relação de trabalho onde a justa remuneração e condições de
trabalho são revertidas em sensível melhoria na qualidade do serviço
ofertado à população.
No campo da política partidária, embora existam bancadas evangélicas,
ruralistas e de outros setores, até mesmo sindical, quando se fala em
servidores públicos participando de pleitos eleitorais, as reações
contrárias são imediatas, com os reacionários tentando confundir a
população, cerceando o livre direito de pleitear o voto popular, algo
que traz sério ranço da ditadura militar.
Diariamente os servidores públicos estão em todas as áreas da cidade.
Pelo exercício ou pela formação, entendem de educação, saúde,
segurança, habitação, enfim, podem colaborar de modo destacado na
elaboração do planejamento estratégico, das peças orçamentárias e de
todas as ferramentas disponíveis para alavancar o desenvolvimento.
Neste sentido, além da defesa de classe, os sindicalistas do setor
público estão cada vez mais preparados para discutir a política e o
planejamento municipal, estadual e nacional.
Se as entidades sindicais dos servidores públicos celebram seu jubileu
de prata, certamente registram histórias de ouro.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Requerimentos e Indicações


  • Informações sobre o cumprimento da Lei Municipal nº 6.718/2013 que dispõe sobre permissão aos bares, 
    lanchonetes, confeitarias, restaurantes e estabelecimentos  congêneres para uso do passeio público fronteiriço para colocação de mesas, cadeiras e toldos.


  • Informações sobre treinamentos e reciclagem para os motoristas de transporte coletivo de Ribeirão Preto.

  • Informações sobre fiscalização do uso das vagas exclusivas em estacionamentos privados.

  • Esclarecimentos e providências quanto à falta d'água na rua Avanhandava.

  • Sinalização na confluência das rua Montes Claros e Monte Alegre.

André quer a manutenção do IBAMA em Ribeirão Preto

Recentemente o vereador André foi informado das iniciativas do Ministério do Meio Ambiente em reestruturar oInstituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA. Entre as medidasanunciadas está o fechamento da Unidade de Ribeirão Preto e vinculação de todos os atendimentos à Unidade deSão José do Rio Preto .
A área sob a jurisdição da Unidade Avançada de Ribeirão Preto perfaz um total de 84 municípios, conta com duas Aglomerações (Ribeirão Preto e São Carlos/Araraquara) e um Centro Urbano (Franca) que somados perfazem uma população de mais de 1.700.000 cidadãos. Se considerada a área total de jurisdição chegaremos a aproximadamente 3.500.000 de habitantes. Trata-se de uma quantidade de pessoas maior que a população de 14 Estados da União.
Esta mudança trará sérios prejuízos a todos os cidadãos da região que terão que se descolar até São José do Rio Preto, para os mais variados atendimentos, além do mais as atividades fiscalizatórias quanto a gestão de recursos sólidos, cuidados com os recursos hídricos de rios como o Pardo, Grande, Sapuicaí-Mirim, o licenciamento federal e o c0ntrole de vários empreendimentos locais estarão sensivelmente prejudicados, sendo certo que a decisão merece uma melhor análise.
Além do requerimento aprovado pela Câmara Municipal de Ribeirão Preto, o vereador André enviou correspondências pedindo apoio, dentro de suas esferas de atuação, aos parlamentares do PCdoB na Assembleia Legislativa, deputados Leci Brandão e Alcides Amazonas; ao senador líder do partido no Senado, Inácio Arruda; ao deputado federal Protógenes Queiroz e ao ministro dos esportes Aldo Rebelo.
Para o vereador André todas as forças políticas da cidade devem se mobilizar para evitar o fechamento daUnidade de Ribeirão Preto do IBAMA que deverá permanecer no município com a estrutura de funcionários emeios capazes de atender a demanda local.

domingo, 20 de outubro de 2013

Artigo Jornal Tribuna 20.10.13

À espera de um milagre?


Outubro é mês de muitas celebrações. Muita festa pelos lados de Palma
Travassos, nos 102 anos do Comercial Futebol Clube e uma série de
atividades em Santa Cruz, nos 95 anos do Botafogo Futebol Clube. No
passado o Leão do Norte e o Pantera da Mogiana arrebanharam milhares
de torcedores e suas equipes sempre aguerridas e competitivas
escreveram páginas gloriosas do esporte paulista, brasileiro e até internacional.
Celeiro de Campeões, o tricolor revelou grandes craques, dos quais
vários serviram à seleção brasileira, entre os quais, Paulo Egidio,
Baldochi, Zé Mário Sócrates, Geraldão, Boadeiro, Eurico, Raí, Doni,
Cicinho, Diego Alves, Bordon, Lucas e Tim. O alvi-negro contou com
nomes que ficarão para sempre na memória do torcedor: Alvino Grota,
Quinin, Dantas, Timóteo Grota e Hilson Souza, Jair Bala, Tadeu Ricci,
Pedro Omar, Paulo Bim, Emerson Leão, Alemão, Mauricinho, Alexandre
Villa, Éder Luis e recentemente Bombinha e Macena.
Em 2014 ambos estarão na primeira divisão do Campeonato Paulista e
suas diretorias já investem em treinadores e na montagem das equipes,
sem é claro, tirar os olhos dos boletos bancários e das visitas
constantes de oficiais de justiça trazendo infindas cobranças de
velhas dívidas.
Se no passado muitos equívocos foram cometidos, agora com a moderna
visão de gestão, a expectativa é que os novos dirigentes acertem e
consigam a estrutura necessária para disputar campeonatos com
dignidade, sem o constante fantasma do rebaixamento.
Neste momento de festa existe um espaço para a reflexão sobre o que
cada um de nós está fazendo em favor das nossas equipes. Além de
superar as dificuldades de calendário, baixa revelação de novos
talentos e distanciamento do público, a falta de incentivo local é um
dos grandes dificultadores.
Em outros municípios o poder público, a sociedade civil e o
empresariado conseguem implementar ações que auxiliam na manutenção
dos elevados custos, por aqui, sempre surgem os que apresentam uma
série de problemas e dificuldades. Lamentavelmente, a turma do contra,
ainda, possui muita força.
Por vezes fico a imaginar como a região administrativa que se tornou
alvo das empresas que buscam ampliar seus negócios, cujo
desenvolvimento atrai diariamente novos empreendedores e que no
período de 2012 a 2015 receberá mais de 556 milhões em investimentos,
não consegue patrocinar a camisa, o estádio e as marcas dos dois
grandes do interior.
Nossa economia diversificada com polo de indústrias, varejo, serviços
e agronegócio é referência nacional. Destacada na geração de
conhecimento com universidades de ponta, grande efervescência cultural
e muitos outros atrativos, Ribeirão Preto foi a primeira opção da
atenta Federação Francesa de Futebol que escolheu nossa cidade como
sede para sua seleção, na Copa do Mundo de 2014.
O gigante de Santa Cruz, palco de grandes clássicos e que por duas
vezes recebeu jogos da seleção brasileira, além de duas finais de
campeonatos paulistas irá receber pessoas do mundo inteiro. A
expectativa é que 15 mil turistas estrangeiros sejam atraídos para cá.
 Todos vão se deliciar com nossos atrativos tão bem demonstrados no
lançamento do Projeto Copa 2014 ocorrido recentemente no Theatro Pedro II. Cada um deve gastar em torno de R$ 11 mil, fora as despesas com
eventos e toda a região será beneficiada.
Mas antes da Copa tem o Paulistão e precisamos prestigiar nossas
equipes, comparecendo na “Joia” e no “Santão”. Que a energia antes
desprendida em estúpidas brigas seja canalizada para que cada torcida
grite em alta voz o nome de seu clube e atletas. Que a paz reine nos
estádios e nas ruas e que juntos possamos encontrar o caminho do
sucesso no esporte.
Aqui no país do futebol dizem que Deus é Brasileiro. Então, neste mês de outubro, vamos rogar à sua mãe, para que interceda por nós,
torcedores de Ribeirão Preto para que os corações de todos sejam
sensibilizados para a causa dos nossos clubes e não precisemos ficar à
espera de um milagre.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Revitalização da Praça Schmidt

O vereador André integra a Comissão Especial de Estudos das Praças Públicas que tem realizado várias audiências ouvindo especialistas e representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Civil Municipal, Coordenadoria de Limpeza Pública, Secretarias Municipais da Cultura, Meio Ambiente e representantes da comunidade.
Atualmente a Comissão está analisando soluções para a Praça Francisco Schmidt uma das mais tradicionais da cidade e que, durante muitos anos, foi o cartão de visitas da Vila Tibério, já que se localiza na entrada do bairro.
O vereador André tem feito várias gestões em favor das Praças da região da Vila Tibério e Adjacências, inclusive apresentando requerimentos e indicações para conservação da Maria Fumaça e remanejamento para Praça ao lado, além da reorganização dos estacionamentos para atender aos familiares e pacientes que utilizam a UBDS Central. Em setembro de 2009, por exemplo, foi aprovada a Indicação 000604 e o Requerimento 008648, reiterado em junho de 2010 sob nº 015949.
O parlamentar defende o atendimento psicossocial amplo aos moradores em situação de rua e aos alcoolistas que permanecem no local e intervenções paisagísticas e culturais de valorização do espaço público. Para André “é fundamental que todas as forças da cidade se unam para a restauração plena da praça, devolvendo aos moradores este importante patrimônio histórico de Ribeirão Preto”
.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

André acompanha atividades de limpeza na Vila Tibério

O vereador André acompanhou de perto os serviços de limpeza de boca de lobo e postos de visita realizados na última semana na região da Vila Tibério. A presença dos profissionais atende aos requerimentos apresentados pelo vereador e aos contatos com a Secretaria Municipal da Infra estrutura.
A atuação dos profissionais durante a limpeza objetiva a manutenção do sistema de drenagem urbana e consistem na completa remoção dos resíduos acumulados no interior das caixas das bocas de lobo, no carregamento, remoção e transporte desses resíduos, executados manual ou mecanicamente. Ribeirão Preto possui milhares de bocas de lobo e a administração municipal está realizando mutirões para limpeza. Inicialmente foram atendidos os bairros Campos Elíseos, Vila Virginia, Ipiranga e agora Vila Tibério.
O vereador destacou que além de folhas e resíduos da construção civil, foram encontradas garrafas, materiais plásticos diversos, brinquedos, roupas e uma série de objetos descartados indevidamente. O parlamentar ressalta que a Prefeitura tem obrigação de manter manutenção permanente, no entanto toda população deve colaborar adotando as seguintes práticas: não jogar lixo ou entulho nas vias públicas, córregos, lotes vagos e encostas, pois além de poluir a cidade, o lixo nas ruas entope bocas de lobo e pode provocar enchentes; respeitar os dias e horários de exposição do lixo para coleta, evitando deixar seu lixo na rua por mais tempo que o necessário; embalar corretamente seu lixo, em sacolas resistentes, bem fechadas e de tamanho adequado, para evitar que elas se abram e espalhem o lixo nas vias públicas.
André lembrou que sem a devida manutenção nas bocas de lobo se tornam esconderijo para insetos e animais peçonhentos, trazendo sérios riscos à saúde pública. “Para alguns parece um problema menor, mas para os que residem nas imediações, certamente esta é uma grande preocupação.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Artigo Jornal Classificados 08.10.13


Reunião da Casa do Poeta e Escritor de Ribeirão Preto. 


Na ordem do dia muita música, poesia, homenagem ao vereador André Luiz, uma espetacular apresentação de Quiquita Pilleggi Martinelli e o descerramento de placa no rol de entrada do prédio da Associação dos Militares e Oficiais da Reserva, sede da entidade.


domingo, 6 de outubro de 2013

Artigo Jornal Tribuna 06.10.13


Não caiamos no caminho


Os momentos de dificuldade e conflito devem ser recebidos comooportunidades para avaliações e reflexões e podem colaborar para oaperfeiçoamento de nossas vidas tanto no campo pessoal como noprofissional, aliás, muitos economistas enxergam nas crises, asgrandes chances de investimento e crescimento.  No momento de aperto énecessário uma boa dose de serenidade, pois cada medida adotada trazsérias e às vezes irreparáveis consequências.Quando convidamos as pessoas para jornadas de sacrifício, devemosprimeiramente sensibilizá-las e o exemplo é a melhor ferramenta. Umchefe de família não pode exigir que seus filhos reduzam as refeiçõesdiárias, enquanto patrocina banquetes para os amigos. Somente umempresário incauto irá reduzir os investimentos nos operários, antesde sanear todos os demais itens que envolvem sua linha de produção. Oadministrador público que espera obter êxito em sua gestão, atribuindoaos servidores a culpa exclusiva pelas mazelas da máquina públicacertamente estará fadado ao insucesso.Ribeirão Preto nasceu para ser grande e liderar o desenvolvimento deSão Paulo e do Brasil. Conhecida como cidade empreendedora, líder emvários segmentos, por aqui circula parte destacável da riquezanacional. No entanto, sempre carregou um traço conservador e asmudanças por vezes não ocorrem na velocidade desejada por muitos.Durante os processos sucessórios, todos os candidatos apresentamdiscursos elaborados onde prometem resolver problemas cotidianos dasaúde, educação, transporte e segurança, entre outros. Os orçamentosprevêem investimentos e aperfeiçoamento da máquina pública, noentanto, poucas vezes os recursos humanos recebem a atenção quemerecem.Nós últimos anos, graças a intensa atividade da representaçãosindical, os servidores municipais conseguiram conquistar direitos quecertamente se traduzirão no implemento de qualidade nos serviçospúblicos disponibilizados aos cidadãos. Como exemplos a realização deconcursos públicos, a redução da jornada dos professores, aimplantação do plano de carreira e a para os trabalhadores da saúde oreconhecimento do direito a jornada de 30 horas semanais. Este últimoobjeto de intensa discussão e mobilizações nos últimos dias.O grande avanço experimentado nos últimos meses sofreu abruptainterrupção quando um projeto de lei, abortado antes mesmo daapreciação do legislativo, cedeu lugar a um questionável decreto quedeterminou a alteração no cronograma de implantação da tão esperadajornada de trabalho. A decisão por si só, já gerou bastantedescontentamento, mas o que ela representa parecer ser ainda pior.Primeiro porque, há mais de cem dias era de conhecimento de todos queseriam necessárias adequações nas escalas e apurados estudos paraverificação sobre a necessidade de remoção, reorganização oucontratação de profissionais o que, parece, não foi feito. Segundo foio fato de se tentar atribuir à combalida saúde do trabalhador aresponsabilidade pelas dificuldades financeiras. A terceira, e talvezprincipal, foi o flagrante desrespeito à Constituição Federal que,justamente nesta semana, completa 25 anos.A nossa Carta Magna é taxativa ao cunhar a irredutibilidade dosalário, também nossa Corte maior o STF já se manifestou sobre suasupremacia frente até mesmo em relação à Lei de ResponsabilidadeFiscal que, por vezes, é invocada de modo impróprio para justificarmedidas administrativas equivocadas.É claro que não restam outras alternativas ao trabalhador que vê seudireito adquirido sendo esbulhado, senão lutar e resistir. Aos homenspúblicos o desafio é de buscar alternativas legais e efetivas paramantença do direito e dos serviços. No caso presente uma revisãocriteriosa no quadro de comissionados sem vínculo parece ser medidasaneadora e um grande indicativo de vontade política de fazer adiferença.Nosso mandato e nossa voz se associam a dos que defendem a garantia daobservância da constituição, a manutenção dos direitos da classetrabalhadora e construção de uma gestão equilibrada e voltada para oenfrentamento técnico dos problemas que afligem a cidade, tendo comobase um planejamento estratégico que contemple o cumprimento doscompromissos estampados no plano de governo que recentemente mereceu aaprovação popular através das urnas.Ousando parafrasear Ulisses Guimarães em seu discurso por ocasião da
promulgação da Constituição Cidadã, dirijo meu apoio e companheirismo
a todos os trabalhadores, em especial aos servidores municipais que,
superado este imbróglio cumprirão sua jornada de 30 horas, e poderão
dizer com altivez. “Não nos desencaminhamos na longa marcha, não nos
desmoralizamos capitulando ante pressões aliciadoras e
comprometedoras, não desertamos, não caímos no caminho”.



quinta-feira, 3 de outubro de 2013

André participa da 5ª Conferência Estadual das Cidades


O vereador André Luiz (PCdoB) foi um dos representantes do legislativo municipal na 5ª. Conferência Estadual das Cidades realizada no Memorial da América Latina, na Capital do Estado, nos dias 26,27 e 28 de setembro. O evento contou, ainda, com a participação de representantes das Associações de Moradores, Movimento de Moradia, Urbanistas , Acadêmicos e representantes da Prefeitura Municipal.
André destacou a importância de atividades que fomentam a troca de experiências entre as cidades que apresentam problemas comuns e podem juntas buscar as soluções. Informou que entre os temas abordados estão a necessidade dos gestores municipais ousarem na adoção de políticas fiscais que aumentem a capacidade de investimento, também a promoção da função social da terra e da propriedade e a permanente qualificação técnica dos servidores, tanto para a execução quanto para o planejamento. “Planos Diretores, Planos de Metas e Planos Municipais de Desenvolvimento Urbano são peças que somadas ao Plano Plurianual e as leis orçamentárias direcionam as políticas públicas, independente das alterações nos comandos dos governos”,   disse.
Para André a reforma urbana somente ocorrerá quando a população apoderar-se dos instrumentos de participação e controle já disponibilizados, pois quem muda a cidade somos nós e a cidade que sonhamos dever ser inclusiva, de oportunidades, acessível, compacta, planejada, sustentável e integrada com as demais. Para isso devemos percorrer um longo caminho.
Em sua atuação na Câmara Municipal André apresentou indicações e projetos de lei relativos a trânsito, acessibilidade e habitação social. André foi indicado como delegado à etapa nacional da Conferencia das Cidades e, também deve integrar a Frente Parlamentar de Vereadores pela Reforma
Urbana-FRENAVRU.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Artigo Jornal Tribuna - 29.09.13


                               Reforma urbana já!


O estado de São Paulo realizou a 5ª Conferência Estadual das Cidades que seguindo a orientação nacional adotou o tema “Quem muda a cidade somos nós: Reforma Urbana Já!”. O objetivo principal foi fortalecer a gestão democrática e contribuir para a construção do Sistema Nacional de Desenvolvimento Urbano. Foram debatidas as prioridades para a política de desenvolvimento urbano e apresentadas pelas várias conferências municipais, com ênfase para os temas: Coesão territorial urbana, Conectividade territorial e competitividade econômica, Mobilidade urbana, Requalificação de áreas urbanas centrais, Política de desenvolvimento habitacional, Qualidade ambiental e urbana e Governança da política urbana e metropolitana. O temário reflete a preocupação que envolve urbanistas, gestores e movimentos sociais organizados: o chamado desenvolvimento com qualidade de vida.
Nosso estado possui um dos maiores índices de urbanização do país, porém as cidades cresceram sem planejamento o que gerou imensos contrastes e divisões geográficas e sociais gritantes. De um extremo, condomínios luxuosos e de outro, favelas, cortiços e loteamentos clandestinos. Superar as dificuldades orçamentárias e garantir a implantação dos equipamentos e serviços de infraestrutura com qualidade parece algo utópico, mas é possível e necessário. Pesquisas diversas e as manifestações nas ruas apontam educação, saúde e segurança como itens mais importantes e mais precários. Moradia é outro indicativo recorrente e desenvolver habitações de interesse social com acessibilidade, habitabilidade e toda infraestrutura, inclusive de transporte, é mais que urgente.
Instrumentos administrativos com a criação de regiões metropolitanas que se organizam de modo coletivo no planejamento e estruturação de investimentos de logística, também são essenciais.
Para se alcançar estas metas, os municípios devem ousar na adoção de políticas fiscais que aumentem a capacidade de investimento. Também, iniciar a promoção da função social da terra e da propriedade. Chegou o momento de discutirmos com serenidade o direito de preempção, utilização compulsória e IPTU progressivo. Tudo isso, só será realizado se contarmos com a permanente qualificação técnica dos servidores, tanto para a execução quanto para o planejamento. Planos Diretores, Planos de Metas e Planos Municipais de Desenvolvimento Urbano são peças que somadas ao plano plurianual e as leis orçamentárias direcionam as políticas públicas, independente das alterações nos comandos dos governos. O meio ambiente deve merecer especial atenção, desde a macro e microdrenagem até o manuseio e destinação dos resíduos sólidos, passando é claro pela conscientização da ampliação das áreas verdes.
A reforma urbana somente ocorrerá quando a população apoderar-se dos instrumentos de participação e controle já disponibilizados, pois quem muda a cidade somos nós e a cidade que sonhamos dever ser inclusiva, de oportunidades, acessível, compacta, planejada, sustentável e integrada com as demais. Para isso devemos percorrer um longo caminho. Vamos começar?