Quem sou eu

Minha foto
advogado, sindicalista, locutor...

domingo, 29 de junho de 2014

Artigo Jornal Tribuna A Tribuna 29.06.2014

 A Copa do mundo e os hinos nacionais


O esporte consegue reunir e integrar culturas, tradições, religiões e povos diferentes. Em alguns casos serve para aproximar países que no passado até foram inimigos. No futebol, a disputa nos gramados, por vezes nos remete aos confrontos no campo de guerra. A diferença é que não existe conquista de território ou dominação e escravização e o grande prêmio em disputa atualmente é a Copa Fifa que, diferente da Taça Jules Rimet, possui posse transitória.
Um dos momentos mais emocionantes da Copa do Mundo é acompanhar a reação das pessoas durante a execução dos hinos nacionais. Quando um canal de televisão passou a apresentar a tradução das letras, tivemos a oportunidade de conhecer um pouco da história e da tradição dos países.
Os hinos nacionais registram momentos históricos, buscam unificar e motivar seu povo. Muitos apesar de compostos após a emancipação política, seguem a influência da música orquestrada dos colonizadores europeus, outros têm a solenidade da marcha militar. Em termos de poesia e ênfase das belezas naturais nenhum supera o brasileiro.
Muitos não se atentam à estrofe que destaca que quem o adora não temem a própria morte para defendê-lo. Sentimento totalmente diferente dos que cotidianamente manifestam-se envergonhados pelo país e os que proclamam o desejo de deixá-lo.
É claro que a seleção de futebol não é o país, tão pouco o governo. As seleções nas diversas modalidades desportivas, no entanto, podem refletir as habilidades ou os investimentos que são feitos. Também, servem de catalisadores do sentimento de nacionalidade, muitas vezes adormecido.
Coletamos alguns trechos de hinos e encontramos verdadeiras declarações de amor. Na República Islâmica do Irã encontramos: “A tua mensagem, oh Iman, de independência e liberdade está marcada nas nossas almas. Ó Mártires! O vosso clamor ecoa nos ouvidos do tempo”. Já na Colômbia: “Ele parou a noite horrível! Liberdade sublime derrama o amanhecer de sua luz invencível. A humanidade inteira, chorando nas suas cadeias, entende as palavras do que morreu na cruz”. A Bósnia-Herzegovina: “Deus deixou você ser salvo para as novas gerações, terra dos meus sonhos, meus bisavôs”.
Muitos resgatam a história das lutas como a Argélia: “Que seja escrito com o sangue dos mártires e lido pelas gerações futuras. Oh, Glória, como resistimos com as nossas mãos por ti!”. O juramento do Chile: “em teus altares jurou que ou serás tumba dos livres, ou o asilo contra opressão”.
De forma semelhante ao nosso, o hino da Austrália destaca: “somos jovens e livres, nós temos solo de ouro e riquezas a labutar, nosso lar é cercado pelo mar, nossa terra é abundante em presentes da natureza”.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Vereador André participa de encontro sobre cidades turísticas em Sertãozinho

O vereador André Luiz  participou do 5º Encontro Estadual dos Agentes Públicos dos municípios de interesse turístico na cidade de Sertãozinho. O evento foi promovido pela União dos Vereadores do Estado de São Paulo e integra os debates para conhecer, no Estado, os municípios que podem ser considerados de “interesse turístico”. Cerca de 150 municípios paulistas poderão receber o título de imediato, com a aprovação da lei pela Assembleia Legislativa. No encontro também foi explicado quais os critérios que precisam ser preenchidos para que um município seja considerado turístico.

André destacou a importância do setor de turismo como gerador de postos de trabalho. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, o setor contribuiu com 6,25% dos empregos formais em 2013, ou seja, cerca de três milhões de trabalhadores com carteira assinada, incluindo empregos diretos em serviços como hospedagem, alimentação, transporte, agências de viagens, aluguel de transporte, cultura e lazer. “Cada município deve conhecer suas riquezas e identificar seu potencial turístico”.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

O vereador André Luiz participou de uma reunião com o secretário da Saúde



 O vereador André Luiz (PCdoB) participou na manhã de terça-feira, dia 17 de junho juntamente com a Comissão de Servidores e diretores do Sindicato dos Servidores, de uma reunião com o secretário da Saúde, Stênio Miranda, para discutir o remanejamento dos servidores e a proposta de contratação de terceirizados.
 Segundo o vereador, a implantação da jornada de 30 horas é uma conquista histórica conseguida através do esforço coletivo e a forma de implantação também deveria seguir o mesmo princípio, ouvindo todas as partes interessadas 

terça-feira, 24 de junho de 2014

Lei de autoria do Vereador André Luiz disciplina a venda de canetas ou ponteiras a laser.

Parece um simples brinquedo, mas o estrago que pode causar é grande, inclusive para a saúde das pessoas. A caneta ou ponteira a laser é vendida quase sem restrição no país, custa cerca de R$ 25,00 a R$ 150,00 e é usada indevidamente, principalmente em atividades esportivas, apresentações artísticas e na aviação.
Segundo reportagem publicada na imprensa local, Ribeirão Preto é a terceira cidade no Estado em incidência de ocorrências de utilização de caneta a laser contra aeronaves. De acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, embora as chances sejam pequenas, a brincadeira com o laser pode provocar até a queda de um avião.
Médicos oftalmologistas esclarecem que se for uma focalização direta, pode causar uma coagulação da mácula ocular (camada da retina), que é uma queimadura e, dependendo do grau, levar à cegueira.
A lei de autoria do vereador André não proíbe a comercialização, apenas disciplina a venda para maiores de 18 anos e trata da utilização para fins acadêmicos.
O vereador André acredita ser importante também campanhas de conscientização para esclarecimentos à população e principalmente as crianças dos perigos que as canetas ou ponteiras a laser podem ocasionar.




terça-feira, 17 de junho de 2014

Artigo Jornal A Tribuna 07.06.2014

A Copa do Amor 

Uma das maiores rivalidades do futebol mundial envolve o Brasil e Argentina. Essa disputa não nasceu nos gramados, e sim, na política, alimentada antes mesmo do nosso descobrimento, com os colonizadores espanhóis e portugueses ao dividirem as terras americanas com o Tratado de Tordesilhas. Posteriormente, tivemos a Guerra Cisplatina, quando os argentinos uniram-se aos uruguaios para conter o avanço do Brasil na região do Rio da Prata. Outro momento de tensão ocorreu na década de 70, durante a construção da Usina de Itaipu. Isso tudo foi superado e os dois países são grandes parceiros comerciais no Mercosul, além de grandes opções de destinos turísticos.            Mas no futebol os cronistas esportivos dos dois países insistem nas comparações entre Pelé e Maradona, Messi e Neymar. Alimentando a rivalidade, talvez apenas para ampliar a audiência. São piadas, trocas de farpas e provocações recíprocas que somente foram reduzidas com a escolha do Papa Francisco. Pela primeira vez os brasileiros ovacionaram e até beijaram as mãos de um argentino que retribuiu com uma simpatia jamais vista.            Com os franceses está ocorrendo fato semelhante. No tempo da colônia os franceses tentaram invadir o Brasil por várias vezes. Depois da Revolução Francesa, seus princípios de igualdade, liberdade e fraternidade influenciaram na nossa independência. No futebol, as estatísticas apontam 13 jogos com o Brasil vencendo 5, empatando 4 e perdendo 4. Em Copas enfrentaram-se 4 vezes, com duas vitórias francesas, uma brasileira e um empate. Os mundiais de 1998 e 2006 estão entalados em nossas gargantas, o Galo literalmente abateu o Canarinho. Agora, tudo parece estar sendo superado com a presença da seleção francesa em Ribeirão Preto.            Progressivamente a cidade começa a se colorir com as cores azul, vermelho e branco. Os dois treinamentos abertos realizados no estádio Santa Cruz reuniram grande público. Maior, aliás, que o registrado em muitos jogos do Campeonato Paulista 2014. Apaixonado por futebol, tietes de todas as idades, caçadores de autógrafos e curiosos de toda ordem comparecem às atividades promovidas pela FIFA, na frente do hotel e no centro de mídia instalado no Palace Hotel. Pela primeira vez, observamos os inúmeros gritos, palavras de incentivo e a tentativa de aproximação de Karim Benzema e seus companheiros em um simples treinamento.            Nesta Copa, até a nossa seleção que se preocupava com a recepção fria dos paulistanos, foi acolhida e acarinhada. No dia dos namorados a estreia contra a Croácia proporcionou a muitos casais a possibilidade de dupla comemoração. Dizem até que: “torcer pela seleção brasileira, ao lado da pessoa amada não tem preço”. O certo é que a demonstração de amor cívico durante a execução do Hino Nacional ficará eternamente marcada.            Após a surpreendente goleada da Holanda sobre a Espanha, tudo poderá acontecer, mas uma coisa que não deve ser esquecida é o espírito do jogo limpo e da integração entre os povos que somente pode ser materializado por intermédio do esporte.            Que este maravilhoso evento transcorra na paz e harmonia. Que os estrangeiros sejam bem recebidos. Que os brasileiros possam aproveitar o legado deixado e que as pessoas aprendam a ser mais tolerantes e que esta Copa seja lembrada como a Copa da Paz e do Amor. 

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Vereador André busca investimentos para o esporte em Ribeirão Preto

O vereador André, no dia 04 de junho, reuniu-se com o representante do Ministério dos Esportes em São Paulo para cobrar investimentos para o nosso município.
A luta do vereador é para que o município seja beneficiado com a construção de um Complexo Esportivo.
Ribeirão Preto é uma das maiores cidades do país e certamente uma das mais importantes do interior paulista. Embora, seja considerada um centro formador de atletas como as estrelas da ginástica olímpica Laís de Souza e Nicholas Santos, sua estrutura física é limitada ao Ginásio da Cava do Bosque, cuja capacidade não permite o recebimento de eventos com grande público, além da falta de espaços para treinamento e prática esportiva em geral.
O vereador André reforçou ao Ministério dos Esportes, que cidade com mais de 650 (seiscentos e cinquenta) mil habitantes merece a implantação de uma nova estrutura para Esporte Educacional, Recreativo e de Lazer.Elder Vieira, chefe da representação do Ministério do Esporte no Estado de São Paulo, comprometeu-se a encaminhar o assunto para o Ministro Aldo Rebelo, no sentido de viabilizar o convênio perante a cidade de Ribeirão Preto.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Aprovado o Projeto de Lei nº 324/13 de autoria do Vereador André que dispõe sobre a reserva de 20% das vagas em concursos públicos da administração municipal para os afrodescendentes.

A Câmara Municipal, no dia 10 de junho, aprovou o Projeto de Lei nº 324/13 de autoria do Vereador André que destina 20% das vagas em concursos públicos para negros.
O projeto de lei agora segue para sanção da prefeita, se aprovado, garantirá, por 10 anos, que candidatos negros e pardos tenham cotas nos concursos da administração pública do município.
O Vereador André acredita que a Lei garantirá o cumprimento do Estatuto da Igualdade Racial que impõe expressamente ao Poder Público a promoção de ações que assegurem a igualdade de oportunidades no mercado de trabalho para a população negra.
A regra não se aplicará para concursos públicos cujos editais foram publicados antes da sanção da lei. Atualmente, 50,7% da população brasileira é negra, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE), mas apenas 31% dos cargos do setor público são preenchidos por negros.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Sancionado o Projeto de Lei nº 213/2013 de autoria do Vereador André Luiz que proíbe a venda casada de produtos e serviços

A Venda Casada é Crime! Muitas pessoas diariamentesão vítimas e nem percebem. A maior incidência ocorre em agênciasbancárias. Muitas vezes ao solicitar um cheque especial, aumentodo limite dele ou outra forma de crédito pessoal, o gerente ou opreposto do banco condiciona a autorização a contratação de umseguro. Este é um exemplo clássico de venda casada.
Agora, de acordo com a Lei Municipal nº 13.265/2013, de autoria do vereador André Luiz, estabelecimentos bancários e instituições similares situados no munícipio de Ribeirão Preto são obrigados a divulgarem aos clientes a proibição de venda casada de qualquer produto ou serviço.
O vereador André comemora a aprovação da Lei, como uma conquista para a população que muitas vezes é sujeita a essa prática abusiva e expressamente vedada pelo Código de Defesa do Consumidor.
Ainda, o vereador esclarece que o consumidor que se sentir lesado poderá recorrer ao PROCON por meio do telefone 0800.7729198 ou dirigir-se a Rua Duque de Caxias, nº 1.181.


domingo, 1 de junho de 2014

Artigo Jornal Tribuna 01.06.2014

A Cura da Saúde 


Muitas vezes ouvimos falar mal da saúde que temos, mas não definimos claramente a saúde que queremos. Talvez o exercício não seja tão difícil, bastando atentar ao que prescreve a Constituição Federal que apresenta a saúde como direito de todos e dever do Estado. Há 25 anos ficou previsto a aplicação de políticas sociais e econômicas capazes de reduzir os riscos de doenças e outros agravos e o acesso universal e igualitário, com ações de proteção, promoção e recuperação.
Ao Estado compete regulamentar, fiscalizar, controlar e executar ações de saúde diretamente ou através de terceiros. A integração de uma rede regionalizada e organizada proporciona um Sistema Único de Saúde - SUS, fundamentado no atendimento integral e descentralizado e com participação efetiva da comunidade.
Mas para se atingir esse ideal de saúde precisamos garantir que todo brasileiro tenha a dignidade de um trabalho decente com condições dignas e salário justo. Com isso poderá residir em uma boa moradia, utilizar transporte adequado e desfrutar de uma alimentação balanceada ou como preconiza a Organização Mundial de Saúde, alcançar o estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças.
Se a teoria é importante, saber quem vai pagar a conta é muito mais. O financiamento das ações e serviços de saúde realizados pelos municípios é de responsabilidade das três esferas de governo. Através de recursos diversos, entre os quais, as transferências regulares, celebração de convênios, contratos e repasses é possível a realização de consultas, exames diversos, procedimentos de 25% de seu orçamento para a saúde, enquanto o Governo Federal colabora com uma parte e a participação do governo estadual é ínfima. Se os impostos são gerados no município e é no município que o povo mora, alguma coisa está errada.
A gestão pública, notadamente a gestão em saúde ganha cada vez maior relevância. Na sociedade atual já não existe espaço para improviso, incompetência e desonestidade. A corrupção, os desvios de recursos, os erros em processos licitatórios e outras anomalias comprometem o sucesso das ações integradas de saúde em grande parte do país.
A boa relação entre profissionais de saúde e usuários é fator primordial para o êxito da saúde pública. Profissionais desmotivados, desvalorizados e sem condições físicas, estruturais, materiais, retaguarda tecnológica, exames complementares, entre outros, não conseguem devotar o seu melhor em favor dos pacientes. Vale lembrar, que quem busca um serviço de saúde, geralmente está fragilizado, aflito, debilitado ou com dores. Nesta situação e como cidadão, merece um olhar mais atento, uma saudação carinhosa, um sorriso acolhedor e um tratamento ágil, qualificado e com resolutividade. Um atendimento humano gera confiança, vínculo e favorece o procedimento de identificação e resolução dos problemas.
Muito se fala que o sistema de saúde encontra-se na UTI. Aceitando a analogia, devemos então defender que a saúde merece atenção prioritária, integral, com disponibilização de todos os recursos humanos, físicos, financeiros e tecnológicos capazes de salvá-la.
A saúde precisa de uma cura e não será por intermédio de discursos vazios, tão pouco de projetos mirabolantes. As deficiências e falhas não podem servir de palanque político daqueles que procuram promoção pessoal, destaque em noticiários ou venda de jornais à custa da tragédia alheia. Também, não podemos fechar os olhos ou adotar a postura do avestruz e negar que existem imperfeições e que precisam ser saneadas.
O enfrentamento consciente dos problemas por meio de efetiva atuação dos órgãos fiscalizadores, do controle social pelos conselhos populares, do envolvimento compromissado dos agentes políticos e dos órgãos de comunicação são fundamentais para esse processo.