Quem sou eu

Minha foto
advogado, sindicalista, locutor...

domingo, 12 de janeiro de 2014

Artigo Jornal Tribuna em 12/01/2014

São Paulo e a Copa do Mundo 


Foi realizada na última quinta-feira, a apresentação do GOL – Guia de Orientação Local – Os Municípios Paulistas na Copa do Mundo da FIFA, feita pelo Comitê Paulista da Copa. Trata-se de uma publicação muito interessante que objetiva sanar dúvidas dos administradores municipais sobre a preparação do Estado de São Paulo para o grande evento, destacando as oportunidades para as cidades sedes, para as cidades que receberão Centros de Treinamentos e todas as cidades vizinhas. Vale lembrar que a seleção francesa foi a primeira a anunciar a cidade onde se estalaria e certamente Ribeirão Preto foi escolhida pelo seu potencial econômico, cultural, receptivo e pela logística que proporcionará para os interessados. A grande mensagem a todos os comerciantes, empreendedores, políticos e sociedade civil em geral é de que nesse processo, não somos espectadores e sim participantes e a Copa do Mundo pode deixar um grande legado para nossa região que já está se mobilizando para receber franceses e cidadãos de todo mundo. Além de mola propulsora do país, São Paulo possui uma série de atrativos que já fizeram que, até o momento, 11 das 32 seleções optassem por permanecer por aqui. França, Portugal, Nigéria, Costa do Marfim, Japão, Rússia, México, Costa Rica, Honduras, Bósnia e Irã estarão hospedados em solo bandeirante. Criticados por muitos, os investimentos no evento trarão resultados a curto, médio e longo prazo.  Para uma melhor visualização, devemos registrar a previsão de que turistas brasileiros e estrangeiros gastarão juntos, na Copa, R$ 25,2 bilhões o que representa 28 vezes o que os turistas gastaram na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Serão cerca de 3 milhões de viajantes nacionais e 600 mil estrangeiros. A previsão é que os hóspedes internacionais gastem em média R$ 11,4 mil, parte disso será em nossa região, sendo preciso o desenvolvimento de ações que incentivem a opção pelos nossos atrativos. Até o encerramento da competição, os olhos do mundo estarão sobre o Brasil e, por consequência, sobre nossa região. Todo planeta acompanhará a Copa seja pessoalmente ou através das transmissões de rádio, televisão, internet e mídias em geral, surgi então a real possibilidade de divulgação das atrações turísticas e de busca de investimentos nos mais variados setores. Diferente dos aloprados que, por meio de críticas contumazes, buscam encontrar problema em tudo e sem a ingenuidade dos iludidos dos que acreditam que estamos no reino encantado, creio ser possível conciliar nossas lutas cotidianas por melhorias na saúde, educação, moradia e transporte com a realização de grandes eventos. Falando em grandes eventos, o Brasil está acostumado a organizar o carnaval.